REALMAR A ECONOMIA, CUIDAR DA CASA COMUM

O convite do Papa Francisco para o encontro “Economia de Francisco e Clara” espera refletir e reconhecer outras práticas econômicas que promovam a vida de todas as pessoas, a Economia Solidária. O Papa acredita que diante das situações de destruição da Casa Comum, precisamos pôr em prática uma economia diferente, que faz viver e não mata, inclui e não exclui, humaniza e não desumaniza, cuida da criação e não a devasta, e, principalmente, inclui povos indígenas e quilombolas. 

Uma nova forma de pensar que nos leve a estabelecer um “pacto” para mudar a economia atual e atribuir uma alma à economia de amanhã. 

Na sua opinião, qual tema deve ser prioridade na agenda da Economia de Francisco e Clara?

Financiamento e Humanidade

Construir economias sustentáveis e solidárias para promover a dignidade humana de todas as pessoas e o cuidado com a casa comum.

Agricultura e Justiça

Promover políticas agrícolas saudáveis, fortalecimento da agricultura familiar, acesso à terra e territórios para produção de alimentos agroecológicos.

Energia e vulnerabilidades socioambientais

os efeitos das grandes matrizes de energia na sociobiodiversidade local.

Trabalho e vocação

Repensar a relação entre trabalho, dinheiro e tempo para promover qualidade de vida.

Negócios em Transição

reconhecer e apoiar experiências de economia que incorporam a transição energética e a economia solidária em seus sistemas produtivos.

Gestão e Presente

Visibilizar empreendimentos que geram impactos socioambientais positivos no mundo.

Trabalho e Cuidado

Incentivar ações que estimulam espaços, bens e percepções comuns para a construção de ambientes sustentáveis.

Políticas para a Felicidade:

Efetivação de políticas públicas para promoção da dignidade humana.

CO2 da Desigualdade

Reduzir drasticamente a emissão de gases do efeito estufa e promover os direitos das populações vulneráveis atingidas pelos impactos das mudanças climáticas.

Vida e Estilo de vida

A contribuição de cada cidadão, empresa, organização, político e etc., para combater a cultura do desperdício.

Negócios e Paz

Construir alternativas econômicas que sirvam de base para a superação de conflitos e construção da paz.

Mulheres para a Economia

O poder do patriarcado na economia e a necessidade de pensar e redistribuir a renda.

Quer compartilhar porque
escolheu votar nesta prioridade?

Complete seu registro para submeter o voto

Agradecemos sua participação

Na sua apinião, qual deveria ser a prioridade
13%
(130 votes)
Financiamento e Humanidade
2%
(18 votes)
Agricultura e Justiça
1%
(14 votes)
Energia e Pobreza
1%
(11 votes)
Lucro e Vocação
0%
(3 votes)
Negócios em Transição
0%
(3 votes)
Gestão e Presente
1%
(10 votes)
Trabalho e Cuidado
1%
(12 votes)
Licenças para a Felicidade
0%
(2 votes)
CO2 da Desigualdade
2%
(19 votes)
Vida e Estilo de vida
1%
(9 votes)
Negócios e Paz
1%
(12 votes)
Mulheres para a Economia
Total Votes: 1.013
Idade
7%
(70 votes)
18-25
24%
(246 votes)
26-35
22%
(220 votes)
36-45
24%
(245 votes)
46-55
23%
(231 votes)
55+
Total Votes: 1.012
Como você se identifica?
14%
(156 votes)
Mulher
30%
(329 votes)
Homem
7%
(78 votes)
Não binário
24%
(261 votes)
Outro
Total Votes: 1.106